GLOSA
PRORADIS

Você já ouviu falar sobre Glosa?

Não deixe a glosa interferir em suas finanças

Você sabe o que é glosa?

      Se hipoteticamente a sua resposta for um sim, você já conhece sobre glosa, eu tenho a certeza de que este artigo irá atendê-lo de forma a conhecer mais sobre o assunto. Entretanto, se supostamente a resposta para minha questão for um não, peço para que aproveite a sua leitura, pois ela auxiliará você a inteirar-se sobre o ponto abordado neste seu primeiro contato com o tema. Primeiramente discorrei sobre a temática que será o tópico deste post, pelo fato deste assunto ser de grande complexidade e de bastante abrangência, ele deve ser explicado detalhadamente.

      Esclarecerei seu significado genérico, e sua orientação voltada para o setor da saúde, explicitando seus conceitos, elucidando as causas, discorrendo sobre as eventualidades que acontecem nos estabelecimentos de saúde e as maneiras de evitar a glosa, esta pequena expressão que possui inúmeros significados. Retratadas com base no mercado e de forma geral, as glosas são todas as cobranças consumadas que não são correspondentes aos acordos e resoluções pré-estabelecidas referenciadas em contrato, visando contratante e contratada, como por exemplo, instituições prestadoras de serviços de saúde, e operadoras de planos de saúde e convênios.

      Mas, devido o tema deste artigo ser voltado para um mercado delimitado, adotarei a semântica desta palavra orientada para o setor da saúde, encontrada no próximo item. 

Glosas na saúde

      Iniciando este tópico, se faz necessário explicar que o significado de glosa na saúde pode ser interpretado de modo similar a sua definição genérica, diferindo apenas da abordagem, que possui agentes relativos as áreas da saúde, como as instituições de serviços e os convênios. 

      As glosas se enveredam em três preceitos, porém, antes explicitarei o conceito deste termo. As glosas na saúde significam os ajustes taxativos, positivos ou negativos, de um algum recolhimento de cobrança evidenciada por um serviço realizado, de maneira à poder ser cobrado um valor superior ou inferior ao adequado a contrato. Isto é, as glosas acontecem quando as informações passadas sobre um atendimento que utilizou determinado medicamento, ou algum procedimento que foi executado pelo prestador de serviço, não são condizentes aos do registro de codificação da empresa que desempenha o serviço de planos de saúde. 

      Outro exemplo, as glosas podem acontecer em ocasiões onde não ocorrem os pagamentos do valor total, ou parcial, por parte das empresas de planos de saúde, e são referentes aos atendimentos realizados, ou as consultas ocorridas, ou aos exames prestados, ou aos medicamentos utilizados, ou aos materiais e utensílios usufruídos, ou as taxas cobradas para os prestadoras de serviços (hospitais, clínicas, laboratórios) perante a um acordo já estabelecido, acarretando geralmente em retrabalho, ao necessitar reestruturar as contas para serem passadas aos convênios, fazendo com que as empresas percam tempo desnecessário, podendo gerar atrasos nos recebimentos e ocasionalmente até em prejuízos financeiros. 

Veja algumas pesquisas relativas aos impactos dos repasses das glosas no Brasil, como a do Instituto de Ensino e Pesquisa na Área da Saúde – IEPAS, a da Associação Nacional dos Hospitais Privados – ANAHP, e a da Revista Brasileira de Enfermagem – REBEn, onde exibem dados fidedignos sobre a temática abordada. Mas vamos as vertentes da glosa, irei pormenorizar seus tipos, que são orientadas em três categorias de classificação:

Glosas administrativas

      A glosas administrativas são as mais recorrentes do mercado, e também as mais simples de se resolver. Como sua denominação já retrata, são relacionadas aos processos administrativos incorretos. É causada através do conjunto de erros operacionais, como o registro inadequado da tabela de valores referentes as taxas exercidas, como os materiais, ou os medicamentos utilizados, como já pré-estabelecido em contrato. Ou até mesmo o registro de preenchimento incorreto das guias de autorização de procedimentos, ou as ausências deles. 

      Como já havia descrito, estes percalços são fáceis de serem reparados, através de uma correções de dados e reenvio aos convênios, gerando o problema do retrabalho.

Glosas técnicas

      As glosas técnicas já são mais complexas, e não são tão comuns quanto as administrativas, devido a quando algum procedimento sem argumentação técnico-científico for contestado, haver a necessidade de uma avaliação de um auditor técnico. Ocorrem através de inconsistências ao atendimento ao paciente, à medida que haja algum descuido de verificação do período de internação ou da codificação dos medicamentos utilizados descritos incorretamente. Também acontece quando alguns procedimentos são executados com desatenção, por exemplo, ao escrever o prontuário do paciente, ou realizando alguma guia, que possui a descrição incompleta ou anotações realizas a lápis. 

      Para evitar esta glosa é impreterível que exista um registro de protocolos de processos devidamente alinhado, e de acordo com cada procedimento realizado.

Glosas lineares

      Por último, as glosas lineares são recorrentes da postura unilateral exercida por convênios ou empresas de planos de saúde. Geralmente o motivo desta glosa é incomum, e aparece como codificada como outros serviços, por exemplo, quando uma instituição de saúde apresenta uma guia notificando a codificação de um medicamento utilizado de maior custo como acertado com as operadoras de convênios e planos de saúde, contudo, a empresa não utilizou o medicamento referido, e sim  por equívoco, um outro de menor custo, ocasionando assim a glosa linear. 

      Você consegue evitá-la através de auditoria das glosas, com uma gestão eficiente de contas e profissionais treinados, apurando todos os faturamentos de contas, as análises corretas de codificação de todos os medicamentos e utensílios utilizados e procedimentos concretizados.

Como evitar a glosa

      Ao discorrer sobre os três tipos de categorias de glosas, após as explicações, mencionei alguns exemplos de causas e como evitá-las, porém, agora estes motivos serão explicitados de forma mais abrangente. Como já elucidado anteriormente, apenas por razão de introdução de tópico, as glosas ocorrem de maneira condicionada a diversos contratempos administrativos, técnicos, ou por equívocos. 

      Para evitar a glosa, a gestão do seu negócio é suma importância, pois deve-se ter uma ampla visão empresarial, automatizar a gestão e otimizar os processos, obter uma boa comunicação e noções econômicas para especificar e delimitar ações conjunturalmente as operadoras de serviços de planos de saúde e convênios. Realizar treinamento colaborativo eficiente, buscando uma melhor capacitação dos seus funcionários em todos os setores de sua organização.  

      Mas se por acaso ocorre a glosa? A partir do momento em que qualquer tipo de glosa é reconhecida – posteriormente ao confrontamento de dados nos registros de todas as cobranças através do demonstrativo de itens das operadoras de planos de saúde e convênios identificaram as irregularidades, existe um prazo determinado para recorrer as ações, elas são decididas pelas empresas de planos de saúde e convênios – é necessário que as glosas sejam identificadas com rapidez devido a este prazo ser de aproximadamente 2 meses – através de um acordo já pré-estabelecido entre ambas as partes.                

      A Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, possui uma cartilha de contratualização de glosa bem informativa, caso apareçam dúvidas.

Arthur Grimaldi

Arthur Grimaldi

Copywriter - Redator

Leia também...

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email