Interoperabilidade
Avatar redondo ProRadis

Sabe qual o significado de interoperabilidade?

Melhore a sua gestão de saúde usando a interoperabilidade

     As disrupturas estão presentes em todos os setores do mercado brasileiro, e já é notório, ainda mais com todas as tecnologias vigentes e recursos que podem ser usados. Cada vez mais, um jeito novo de se realizar funções e executar processos estão deveras recorrentes, ampliando o campo da funcionalidade das empresas e serviços. Atualmente, esta palavra de difícil dicção vem cada vez mais sendo utilizada na realidade diária de clínicas, hospitais e laboratórios, afinal, quem não está conectado com o mundo digital contemporâneo provavelmente está perdendo clientes, desacelarando processos, aumentando os gastos, ou executando procedimentos sem a devida eficiência. Neste artigo abordo a questão do significado de interoperabilidade e como ela pode estar presente em seu negócio da forma mais proveitosa possível para você, além de referenciar este termo através de nossos produtos.

O que é interoperabilidade?

     Caso você não esteja habituado com este termo, irei explicá-lo, este termo possui, em teor funcional, a particularidade de agregar sistemas a trabalharem em conjunto, de modo a integrar diversos sistemas computacionais, interagindo a partir de trocas de informações de maneira digital, obtendo comunicação simultânea e automatizada entre eles.

Como funciona na saúde?

     Se tratando do setor de saúde, mais precisamente a radiologia, esta palavra aparece para possibilitar o cambio de informações entre as diversas ferramentas nas quais você utiliza em sua clínica, hospital ou laboratório, propiciando ao gestor informações relativas aos cuidados do paciente, integrando o sistema de gestão do seu negócio, os prontuários eletrônicos dos pacientes (PEP), seus sistemas de comunicação e arquivamento de imagens (picture archiving and communication system/ PACS), e aos sistemas de informação em radiologia (radiology information system/ RIS).

Benefícios de uso

     Ao implantar a interoperabilidade em seu negócio, você possuirá uma série de benefícios, como obter uma visão totalmente integral de informações condizentes a todos os seus pacientes e solicitantes de um modo seguro e eficente. Você obterá maior agilidade em seus processos realizados através da integração dos programas, diminuindo o tempo perdido de troca de um para outro, podendo ser acessados todos de uma só vez. Permite a você a padronização do registro de informações, adquirindo uma comunicação integrada de diferentes proficcionais mais clara e rápida, culminando na tomada de decisão mais veloz e assertiva. Você conseguirá com maior facilidade de engajamento de seus pacientes mediante ao simples acesso e ambientes exclusivos e intuitivos de comunicação com seu empreendimento. E por fim, a redução de custos, devido a reunião de todas as informações de exames, laudos e imagens de cada paciente na palma da sua mãe de de acesso full time, possibilitando maior organização, evitando duplicações, retrabalhos, dificuldade de logística, armazenamento e entrega de exames, e de ilegibilidade de documentos.

Desvantagens

     Seu negócio poderá obter algumas desvantagens, porém, esta implantação é super favorável e eficiente, mas como nada é perfeito, citarei alguns percalços que poderão ser enfrentados. Você poderá encontrar algumas dificuldades com a padronização de representatividade de dados. Necessitará de garantir aos seus pacientes e solicitantes um ambiente seguro e de confidencialidade para integração dos seus sistemas. E terminando, a contratação ou treinamento de um profissional apto a utilização dos seus sistemas, geralmente um profissional de tecnologia da informação.

Como implementar em meu negócio?

     Na prática é preciso que clínicas, hospitais, ou laboratórios, incorporem os padrões e protocolos de uso Vendor Neutral, que é uma abordagem de negócios e design que procura garantir ampla compatibilidade e intercambialidade de produtos e tecnologias. O modelo engloba padronização, princípios de design não proprietários e práticas comerciais imparciais. O hardware e software Vendor Neutral são projetados para compatibilidade e interoperabilidade.

     Alguns protocolos e padrões são;

     – HL7: health level Seven international é um conjunto de normas internacionais que permite o intercâmbio de dados de saúde por meio de mensagens.

     – CID10: o cadastro de doenças.

     – LOINC: logical observation identifiers names and codes, que é utilizado para padronizar exames.

     – PDF: formato padrão para laudos.

     – DICOM: digital imaging and communications in medicine, visualizador de imagens.

     – ERP: enterprise resource planning, para o seu sistema de gestão empresarial.

     – TISS/TUSS: o padrão de troca de informação de saúde suplementar (TISS), e a terminologia unificada de saúde suplementar (TUSS), que são essenciais para o envio de cobranças aos planos de saúde.

PRORADIS e a interoperabilidade

     Possuímos uma plataforma de acessibilidade intuitiva e de simples compreensão, que contempla todos os produtos PRORADIS, o futurístico App 2.0, que propicia e valora sofisticação e exclusividade para a sua marca. Os produtos e ferramentas que integram este produto são, o IMAGE2DOC, onde é possível visualizar e compartilhar exames com colegas de profissão, e para seus pacientes de forma ágil e descomplicada. A Central do Paciente que apresenta logins únicos e ilimitados para que seus pacientes acessem apenas os exames disponibilizados pela sua clínica. E a Central do Solicitante, onde toda a comunicação entre a sua clínica e seus solicitantes serão realizadas através do whatsapp, o mundialmente famoso app de mensagens. Além do nosso software smartRIS, conectando sua gestão com a área médica e a odontológica.

Arthur Grimaldi

Arthur Grimaldi

Copywriter - Redator

Leia também...

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email